Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...

Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...
Pretende-se que este blogue se materialize num importante contributo para o estudo das famílias do Alentejo, com especial incidência nas zonas de Borba, Estremoz, Vila Viçosa, Alandroal e Redondo.





“A genealogia não deverá tornar-se num processo dissimulado de busca obsessiva por gente nobilitada, socialmente distinta, mas antes como um veículo facilitador do conhecimento e apropriação do modo de vida daqueles que, independentemente do seu estatuto social e da sua condição económica, representaram o elo de uma corrente - a mesma que só tomou forma porque cada elo esteve em dado momento no seu lugar, com maior ou menor bravura, maior ou menor sofrimento e espírito de sacrifício, mais ou menos propósito, simplesmente teve a nobreza e o dom, que mais não fosse, da sua própria existência… e creiam que à medida que vou envelhecendo, vou proporcionalmente tomando maior consciência da importância e necessidade de “genealogia” e “humildade” caminharem sempre de mãos dadas…”

__________________________________________________________________________ O Autor





Gordacho

Primeira Geração

      1. José Inácio Gordacho nasceu em Arcos Estremoz.
José casou-se com Maria Cipriana. Maria nasceu em Arcos Estremoz.

Eles tiveram os seguintes filhos

+          2 M        i.  Manuel Joaquim Gordacho.
               3 M       ii.  Justo António Gordacho nasceu em Arcos Estremoz.
Justo casou-se com Ana do Carmo Rato em 1859 em S Bartolomeu Borba. Ana nasceu em S Bartolomeu Borba.




Segunda Geração

      2. Manuel Joaquim Gordacho (José Inácio Gordacho) nasceu em Arcos Estremoz.
Manuel casou-se com Maria José Sebo Paínho em 1855 em S Bartolomeu Borba.

Eles tiveram os seguintes filhos
               4 M        i.  Luis Maria Gordacho nasceu em S Bartolomeu Borba.
Luis casou-se com Mariana Barbara em 1884 em S Bartolomeu Borba. Mariana nasceu em Santa barbara Borba.
               5 F        ii.  Rita Balbina Gordacho nasceu em S Bartolomeu Borba.
Rita casou-se com João Manuel Pimenta em 1886 em S Bartolomeu Borba.
               6 M      iii.  Caetano Maria Sebo nasceu em S Bartolomeu Borba.
Caetano casou-se com Teodora do Patrocinio Dengues em 1897 em S Bartolomeu Borba. Teodora nasceu em S Bartolomeu Borba.
               7 F       iv.  Maria Filomena Gordacho.
Maria casou-se com João António Godinho em 1893 em Matriz Borba.
               8 M       v.  António nasceu em 08.dezembro.1856 em S Bartolomeu Borba.

10 comentários:

  1. O Manuel Joaquim Gordacho deve ter trabalhado nas propriedades do Manuel Joaquim Proença, seu padrinho de casamento e de batismo de uma filha (dos 14 filhos que teve). Eventualmente por isso, também foi conhecido por Manuel Joaquim Proença Gordacho, e alguns dos filhos, e netos, passaram a ter o apelido Proença.
    A esposa era parteira, como também o foi a filha Rita Balbina.
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar
  2. São estes os avós do Manuel Joaquim Proença Gordacho:
    - Do lado paterno (José Ignacio Gordacho)
    Manoel Felizardo, natural de São Domingos de Ana Loura, Estremoz
    Sabina da Encarnação, natural de Arcos, Estremoz
    - Do lado materno (Maria Supriana)
    Supriano Rodrigues, natural de Arcos, Estremoz
    Francisca Clara, natural de Arcos, Estremoz
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro José Proença,
      Muito obrigado pelo seu contributo. de facto, os "Proença" que refere (Manuel Joaquim Proença), com origem em Paredes - Penafiel, terão deixado vasta descendência nas imediações de Borba. Ainda hoje se encontra descendência, que mantém o apelido "Proença", na aldeia da Nora, por exemplo.
      Cumprimentos,
      Alengenea

      Eliminar
  3. O Manoel Joaquim Proença Gordacho nasceu um pouco antes de 1830-07-11 e teve (pelo menos) os seguintes irmãos, também nascidos em Arcos, Estremoz:
    - Justo Antonio, nascido um pouco antes de 1833-08-25
    - Joanna, nascida a 1836-05-13
    - Thereza, nascida a 1839-11-21
    - Brizida, nascida a 1846-05-02
    Os pais (José Ignacio Gordacho e Maria Supriana) casaram em Arcos, Estremoz, no dia 1827-11-18
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar
  4. E são estes os (pelo menos...) 14 filhos de Manoel Joaquim Proença Gordacho e Maria Jose Sebo, todos nascidos em São Bartolomeu, Borba:
    - Antonio 1856-12-04
    - Genoveva de Jesus 1858-12-13/1945-12-30
    - Anna 1860-12-28
    - Luis maria 1862-11-04
    - Joanna do Patrocinio Proença 1864-11-19/1949-05-06
    - Rita Balbina Proença Gordacho 1866-09-26/1940-10-30
    - João 1868-12-15
    - Caetano Maria Cêbo Proença Gordacho 1870-09-16/1954-11-12
    - Antonio 1872-09-03
    - Jose Manuel Proença Gordacho 1873-11-18
    - Maria Filomena Sêbo 1875-03-19/1946-05-07
    - Jose Candido Proença 1876-12-01/1942-03-13
    - Leonina da Lapa Proença 1879-08-22/1902-03-02
    - Thereza 1882-11-30/1890-12-27
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar
  5. Manoel de batismo, Joaquim no registo de casamento, Gordacho nos registos de nascimento dos filhos e Proença nos dos netos, Manoel Joaquim Proença Gordacho é o primeiro a ter o apelido 'Proença'.
    Próximo e homónimo do patrão, Manoel Joaquim terá ganho deste o 'Proença', mas também a diferenciação 'Gordacho', algumas vezes referida como 'Gorducho'.
    Isto é só uma hipotética teoria para o seu apelido, mas que andam 'Proença's destes por aí à solta, ai andam...
    E 'Gordacho's também...
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar
  6. Caro José Proença,

    Muito interessantes os apontamentos que deixa neste tópico. Agradeço o seu contributo.

    Cumprimentos,
    Alengenea

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O mérito é todo do 'site' - o meu contributo são apenas factos coligidos.
      E, por detrás dos factos, está vida palpitante que tentei apresentar mas que são apenas teorias hipotéticas e não confirmadas.
      Cumprimentos,
      José Proença

      Eliminar
  7. O pai do Manoel Joaquim não aparece com o apelido 'Gordacho' no casamento nem no batismo dos filhos; apenas no batismo dos filhos deste filho.
    Estou em crer que este apelido foi 'ganho' pelo Manoel Joaquim em Borba e só depois é que 'subiu' ao pai José Ignacio.
    Se assim for, é o Manoel Joaquim Proença Gordacho a ser a origem dos Gordacho.
    Esta teoria não será sustentável se algum neto fora de Borba também apareça com o apelido 'Gordacho' atribuído ao avô. Aqui fica o desafio para os 'Gordacho's...
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar
  8. Dos filhos do Manoel Joaquim, saliento a Rita Balbina Proença Gordacho Pimenta que, ao falecer em Borba a 1940-10-30, mesmo não sabendo escrever sabia por ventura muito mais de genealogia do que aquilo que deixou dito.
    Parteira em Borba, casou a 1886-02-28 com João Manuel Pimenta e teve (pelo menos) os seguintes filhos:
    - Francisca 1888-04-06/1888-09-02
    - Domingos 1889-06-25/1945-12-02
    - Catharina 1891-10-20
    - Francisca da Conceição Pimenta 1893-10-05/1966-02-19
    - Thereza 1896-05-16
    - Francisca 1897-09-01
    - Jose Antonio 1900-01-14/1934-03-18
    - Leolina da Lapa 1902-05-06
    - Escholastica 1904-05-18
    - Manuel 1908-04-12/1908-04-12
    - Nicolau 1910-02-13
    Cumprimentos,
    José Proença

    ResponderEliminar