Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...

Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...
Pretende-se que este blogue se materialize num importante contributo para o estudo das famílias do Alentejo, com especial incidência nas zonas de Borba, Estremoz, Vila Viçosa, Alandroal e Redondo.





“A genealogia não deverá tornar-se num processo dissimulado de busca obsessiva por gente nobilitada, socialmente distinta, mas antes como um veículo facilitador do conhecimento e apropriação do modo de vida daqueles que, independentemente do seu estatuto social e da sua condição económica, representaram o elo de uma corrente - a mesma que só tomou forma porque cada elo esteve em dado momento no seu lugar, com maior ou menor bravura, maior ou menor sofrimento e espírito de sacrifício, mais ou menos propósito, simplesmente teve a nobreza e o dom, que mais não fosse, da sua própria existência… e creiam que à medida que vou envelhecendo, vou proporcionalmente tomando maior consciência da importância e necessidade de “genealogia” e “humildade” caminharem sempre de mãos dadas…”

__________________________________________________________________________ O Autor





Ratado II

Primeira Geração

      1. João de Andrade.
João casou-se com Maria do Carmo.

Eles tiveram os seguintes filhos

+           2 M        i.   Manuel Ratado.

  

Segunda Geração

      2. Manuel Ratado (João de Andrade).
Manuel casou-se com (1) Próspera da Conceição em 13 agosto 1844 em Atalaia Fronteira. Prospera nasceu em Matriz Alandroal.

Eles tiveram os seguintes filhos
               3 M        i.   Matias Jesus Ratado.
Matias casou-se com Teresa Maria em 1872 em Atalaia Fronteira.
               4 M       ii.   Joaquim Manuel Ratado.
Joaquim casou-se com Maria Joana em 1878 em Atalaia Fronteira.
               5 M      iii.   Francisco Ratado.
Francisco casou-se com Maria Rosário Louro em 1880 em Atalaia Fronteira.

Manuel também casou-se com (2) Maria do Nascimento em 30 julho 1843 em Atalaia Fronteira.


Sem comentários:

Enviar um comentário