Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...

Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...
Pretende-se que este blogue se materialize num importante contributo para o estudo das famílias do Alentejo, com especial incidência nas zonas de Borba, Estremoz, Vila Viçosa, Alandroal e Redondo.





“A genealogia não deverá tornar-se num processo dissimulado de busca obsessiva por gente nobilitada, socialmente distinta, mas antes como um veículo facilitador do conhecimento e apropriação do modo de vida daqueles que, independentemente do seu estatuto social e da sua condição económica, representaram o elo de uma corrente - a mesma que só tomou forma porque cada elo esteve em dado momento no seu lugar, com maior ou menor bravura, maior ou menor sofrimento e espírito de sacrifício, mais ou menos propósito, simplesmente teve a nobreza e o dom, que mais não fosse, da sua própria existência… e creiam que à medida que vou envelhecendo, vou proporcionalmente tomando maior consciência da importância e necessidade de “genealogia” e “humildade” caminharem sempre de mãos dadas…”

__________________________________________________________________________ O Autor





Álvares Azedo

(A resenha genealógica que segue é da autoria do genealogista LUÍS JAIME RODRIGUES MARTINS, a quem se agradece o excelente contributo)
________



Alvares Azedo  
São Romão - Montemor-o-Novo
                                                                                                                
 § 1

1. André Alvares Azedo que terá nascido anteriormente a 1545 e se casou com Margarida Jorge, viveu na Freguesia de São Romão em Montemor-o-Novo e aí baptizou vários filhos, possivelmente foi lavrador e teve escravos (1).
Tiveram os seguintes filhos:

2.I) Sebastião Alvares, baptizado a 13-11-1567, casou em São Romão a 6-2-1600 com Maria Fernandes filha de João Fernandes e de Margarida Fernandes.

 2.II) Gregório, baptizado em São Romão a 8-5-1569.

 2.III) Isabel Pinta, baptizada em São Romão a 8-11-1570, e ai se casa a 3-10-1593 com André do Porto filho de André Pires Porto e de Margarida André Minota. ( Segue no tt.º Pires, do Porto)

 2.IV) Margarida Pinta, baptizada em São Romão a 30-1-1575 e se casou na mesma Igreja a 20-10-1596 com Domingos André natural de São Cristóvão e filho de Pero André e de Maria Fernandes.

 2.V) Luísa Pinta que se segue;

 2.VI) Aleixo Alvares (baptismo não encontrado), casou em São Romão a 12-10-1608 com Maria Fernandes filha de André Fernandes e de Maria Dias.

 2.VII) Maria Pinto, baptizada em São Romão a 15-8-1576. Casou na mesma freguesia a 21.11.1599 com António Bispo, filho de André Bispo e de Helena Dias. Testemunharam esse casamento Jorge Dias e Margarida Pinto.

2. Luísa Pinto, baptizada em São Romão a 3-9-1581, foi seu padrinho Álvaro Vaz e madrinha Domingas Roiz, casou na mesma Igreja a 13-1-1594 com Manuel Pires filho de Pedro Afonso, Carvoeiro e de Leonor André, moradores  em São Romão. Isabel casou uma 2ª vez na mesma Igreja a 14-11-1610 com Diogo André filho de André Alvares e de Maria Dias.
Tiveram os seguintes filhos do 1ª casamento:

3.I) André Pinto que se segue;

3.II) Isabel Pinto que se casou em São Mateus a 15-7-1629 com António Gomes filho de Manuel Gomes e de Francisca Nunes.

3. André Pinto que se casa em São Mateus a 10-10-1627 com Margarida Gonçalves filha de Sebastião Alvares e de Catarina Gonçalves, testemunharam Diogo André, Luís Pires, Manuel Dias e João Dias.
Tiveram:

4. Catarina Pinta, baptizada em São Mateus a 13-9-1643, foi padrinho André Alvares e madrinha Maria Pinta, casou na mesma Igreja a 25-9-1662 com Manuel Dias natural de São Mateus, filho de Simão Dias e de Ana Dias.
Tiveram os seguintes filhos:

5.I) Mariana Dias que se segue;

5.II) Ana Pinta que se casou em Santa Justa a 1-10-1678 com Domingos Fernandes filho de Jerónimo Fernandes e de Maria Fernandes, testemunharam Manuel Dias, Luís Fernandes e Domingos Leal (2).

 5.III) Alferes Matias Pinto que se casou com Maria das Candeias natural de Elvas filha de Manuel Banha, natural de São Gens e de Inês  Palmeira natural de Nossa Senhora do Soveral (Matriz) de Borba, neta paterna de Matias Banha natural de São Gens em Montemor-o-Novo e de Maria Dias (3).

5.IV) Catarina Pinta (4).

5. Mariana Dias (baptismo não localizado) que se casou em Santa Justa a 14-12-1677 com António Rodrigues Murteira natural do Vimieiro,  filho de Manuel Rodrigues Murteira e de Isabel Rodrigues Lavradores em Santa Justa (5).
Tiveram os seguintes filhos:

6.I) João Rodrigues Murteira que se casou 3 vezes, a 1ª com Maria Josefa, a 2ª com Teresa Coelho e a 3ª com Mariana Borges filha de Manuel Borges e de Maria Rasquete.(Segue no mesmo tt.º Alvares Azedo a § 2)

6.II) Isabel Rodrigues Murteira que se casa em Santa Justa a 19-8-1708 com Manuel Alvares (viúvo de Inês Teles), e tiveram um filho, António Rodrigues Murteira referido no 7.IV)

6.III) Gregória Rodrigues Murteira que se segue;

7. Gregória Rodrigues Murteira que se casou em Santa Justa a 1-9-1720 com Gaspar Francisco natural de Cerejo - Viseu, filho de João Francisco e de Maria Francisca.
Tiveram:

8. Francisca Maria Murteira que se casou em Santa Justa a 28-9-1749 com José Rodrigues filho de Manuel João e de Josefa Maria natural de São Bento do Mato. José Rodrigues e Francisca foram Lavradores da Herdade do Montinho da Farigela em Santa Justa.
Tiveram:

9. Justa Maria, baptizada em Santa Justa a 1-1-1759, foi padrinho Francisco Teixeira e Nossa Senhora de Santa Justa, casou na mesma Igreja a 6-6-1779 com Joaquim António natural de São Gregório e filho de Francisco Lopes natural do Vimieiro e de Isabel Ramalho natural da Igrejinha, neto paterno de João Lopes e de Catarina Luís Mialha e Paterno de Manuel Ramalho e de Margarida Rodrigues.
Tiveram os seguintes filhos:

10.I) Maria de Jesus que se segue;

10.II) Joana Maria que se casou com João Dias filho de José Dias e de Mariana de Jesus.
(Segue no mesmo tt.º Alvares Azedo a § 3)

10. Maria de Jesus, baptizada na Igreja Matriz do Vimieiro a 10-3-1781, casou em São Gregório a 24-8-1798 com António Rosado filho de José Rosado e de Vitória Soeiro, Lavradores da Herdade do Pigeiro.
Tiveram:

11. Joana Inácia, baptizada em São Gregório a 4-10-1801, casou na mesma Igreja a 26-7-1821 com José Rosado filho de José Rebocho e de Isabel Maria.
 
                                                                                                                    
§ 2

6. João Rodrigues Murteira (filho de António Rodrigues Murteira e de Mariana Dias) que se casou 3 vezes, a 1ª com Maria Josefa, a 2ª com Teresa Coelho e a 3ª com Mariana Borges filha de Manuel Borges e de Maria Rasquete.
Teve dos vários casamentos os seguintes filhos:

7.I) Francisca Maria (filha de Maria Josefa) que se casou em Santa Justa a 28-3-1736 com Manuel Rebocho filho de António Rebocho e de Francisca Rodrigues.

7.II) Teresa Coelha (filha de Inês Coelha) que se casou em Santa Justa a 8-2-1750 com Santos Cardoso natural de São Lourenço / Lavre filho de Manuel Cardoso e de Maria Alvares.

7.III) Manuel Rodrigues Murteira (filho de Mariana Borges) que se casou em Santa Justa a 20-1-1757 com Luísa Maria Vidigal natural de São Bento do Mato filha de André Rodrigues e de Joana Vidigal.

7.IV) Pascoa Borges (filha de Mariana Borges) que se casou na Matriz do Vimieiro a 5-12-1751 com seu primo António Rodrigues Murteira filho de Isabel Rodrigues Murteira e de Manuel Alvares referido no 6.II). 
                                                                                                                    
                                                                                                   
§ 3

10. Joana Maria (filha de Joaquim António e de Justa Maria) que se casou com João Dias filho de José Dias e de Mariana de Jesus.
Tiveram:

11. Luís da Trindade que casou com Joaquina Maria filha de João António e de Antónia Inácia. Tiveram:

12. Guilhermina da Conceição Pinheiro que se casou com Jerónimo José Queiroga.

Notas
(1) Segundo o baptismo de Braz filho de Maria escrava de André Alvares Azedo, ou de António menino baço filho de Paula escrava de ….......Livro nº 1 de baptismos de São Romão de 29-1-1569.
(2) Na margem deste registo de casamento refere-se que Ana Pinta esta habilitada pelo Santo Oficio uma neta casou com um familiar do mesmo Tribunal.
(3) Na margem deste registo de casamento é referido que Mariana é irmã inteira de Catarina Pinta habilitada pelo Santo Oficio.
(4) Esta Catarina Pinta é mencionada no registo de casamento referido no nº (3).
(5) Segundo o Processo de Habilitações ao Santo Oficio de Constantino José Antunes que pretende habilitar-se a Sangrador de Cárcere, Doc. nº 1136 do Arquivo Nacional da Torre do Tombo do ano de 1761, Constantino e  filho de Manuel Antunes Simões natural da Vila de Sortelha e de Maria Vaz de Elvas, neto paterno de João Antunes Roxo e de Maria Antunes e materno de Diogo e de Maria Alvares.
________

Sem comentários:

Enviar um comentário