Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...

Estudar as nossas raízes faz parte de um processo de autoconhecimento...
Pretende-se que este blogue se materialize num importante contributo para o estudo das famílias do Alentejo, com especial incidência nas zonas de Borba, Estremoz, Vila Viçosa, Alandroal e Redondo.





“A genealogia não deverá tornar-se num processo dissimulado de busca obsessiva por gente nobilitada, socialmente distinta, mas antes como um veículo facilitador do conhecimento e apropriação do modo de vida daqueles que, independentemente do seu estatuto social e da sua condição económica, representaram o elo de uma corrente - a mesma que só tomou forma porque cada elo esteve em dado momento no seu lugar, com maior ou menor bravura, maior ou menor sofrimento e espírito de sacrifício, mais ou menos propósito, simplesmente teve a nobreza e o dom, que mais não fosse, da sua própria existência… e creiam que à medida que vou envelhecendo, vou proporcionalmente tomando maior consciência da importância e necessidade de “genealogia” e “humildade” caminharem sempre de mãos dadas…”

__________________________________________________________________________ O Autor





Banha I

- São Bento do Mato / Évora -
Por: Luís J. R. Martins
____
§ 1 

Primeira Geração

1. Maria Banha que casou com Mateus Domingos.
Tiveram:

+     2.M   i.  Domingos Banha

Segunda Geração

2. Domingos Banha, baptizado em São Bento do Mato a 26-2-1612, foi padrinho Manuel Fernandes e madrinha Domingas Dias. Casou na mesma Igreja a 7-8-1639 com Escolástica Gonçalves filha de Jorge Gonçalves e de Isabel Fernandes. Foram testemunhas Bento Manuel, Manuel Fernandes e Maria Jorge Henriques. Em 1640 moravam nas Casas Velhas. Escolástica  faleceu e foi sepultada na Igrejinha a + 22-9-1685, era na altura Lavradora da Fonte Branca na Igrejinha e já viúva de seu segundo marido Pedro Braz.

Tiveram os seguintes filhos (do 1ª casamento):

        3.F    i.  Luísa, baptizada em São Bento do Mato a 10-9-1640, foi padrinho Bartolomeu Jorge e madrinha Lúcia Henriques.
+     4.M  ii.  Manuel Banha
        5.M  iii. António, baptizado em São Bento do Mato a 7-11-1644, foi padrinho Manuel Braz e madrinha Isabel Braz.
        6.F    iv. Catarina, baptizada em São Bento do Mato a 26-7-1647, foi padrinho Francisco Manuel e madrinha Luísa Leal.
        7.M  v.  Maria, baptizada em São Bento do Mato a 21-8-1648, foi padrinho Francisco
                     Manuel e madrinha Isabel Braz.
        8.M  iii. Mateus, baptizada em São Bento do Mato a 23-9-1650.

Segunda Geração

4. Manuel Banha, baptizado em São Bento do Mato a 14-9-1642, foi padrinho Bento Jorge e madrinha Isabel Gonçalves. Casou na Igrejinha a 25-8-1683 com Maria Rosada filha de Miguel Rosado e de Ana Banha, foram padrinhos António Roiz Pinto e Manuel Domingos. Foram Lavradores da Fonte Branca na Igrejinha. Manuel faleceu a +17-3-1719 e Maria Rosada a +23-10-1734, ambos sepultados na Igrejinha. (cf. ttº Banha II)

Tiveram os seguintes filhos:

       9.F   i.  Inês Rosado, baptizada na Igrejinha a 28-1-1686, faleceu e foi sepultada na mesma Igreja a + 25-6-1719.
     10.M  ii.  Domingos Banha, baptizado na Igrejinha a 1-10-1689, faleceu e foi sepultado na Igrejinha a + 27-4-1713.
+  11.F   iii. Helena Rosado
     12.M  iv. António, baptizado na Igrejinha a 20-5-1697, foi padrinho José Varela Moreno e madrinha Isabel de Faria.


Terceira Geração

11. Helena Rosado, baptizada na Igrejinha a 12-1-1695, foi padrinho André Roiz Pinto e madrinha Helena da Cruz. Casou na mesma Igreja a 19-10-1715 com José Marques filho de Manuel Marques e de Brites Franca. Helena faleceu e foi sepultada na Igrejinha a + 10-11-1720.
( Segue no ttº Marques)

_____

Nota: Agradece-se o envio de informações complementares / correcções relativas aos elementos apresentados para o endereço alengenea @ gmail.com (sem espaços)

Sem comentários:

Enviar um comentário